quinta-feira, 4 de novembro de 2010

[ AUSÊNCIA ] [ 03-11-10 ]

Ficou insuportável me olhar no espelho. No espelho está a prova virtual de que na realidade não estou nem aqui nem ali, mas sempre longe de onde quero estar. Meus sonhos me aprisionam em outra dimensão, meu olhar vago tentando encontrar o caminho de volta. E meu suspiro entrega minha dor.

Por que fui beber daquela maldita garrafa? Tão tentadora...
Bebi do amor mais puro... Destilado, concentrado. Tão inflamável, tão cristalino.

Não fui eu que o consumi. Foi ele que me consumiu, num instante. Num estado de euforia e estupor nem percebi, anestesiada, quando me desintegrou e me tirou de mim.

Precisava de mais daquilo. Fui até a garrafa, me sentindo sem ar.

Mas o amor é tão volátil...(E eu deixei a tampa aberta).
A garrafa estava vazia, e a sala estava cheia de seu rastro.

Respirei o mais fundo que pude, enchendo meu corpo da ínfima porção que restava, buscando o veneno que meu corpo gritava. Mas não foi o bastante. A janela estava aberta.

Estou aqui sentada na mesma sala. Tem uma música tocando mas eu não a ouço. Eu nem tenho certeza se as luzes estão acesas ou apagadas. A janela continua aberta. Sinto frio, mas não me importo.

A única coisa que vejo é a imagem da garrafa com a tampa aberta; A única coisa que ouço é do líquido enchendo meu copo e depois se transformando em ar; A única coisa que sinto é vontade/saudade/desejo. Preciso beber daquilo de novo.

Preciso beber daquilo de novo, e sei que você tem uma garrafa guardada no armário. Prometo fechar a tampa, e a janela.

Tão cristalino... Tão inflamável... Tão volátil.



[ Boletim Informativo Pessoal ] [ 7 ]

Eleições acabaram!

Ufa! Tava tenso. Deu Dilma! A primeira mulher presidente do Brasil. Uhul!
Então, tava tenso mesmo... Foi uma mobilização muito louca! As pessoas estavam raivosas e borbulhantes xingando/defendendo seus candidatos e blá blá blá.

Nervos à flor da pele quando o assunto era política.

Na minha faculdade (na minha sala pelo menos) a grande maioria tava do lado dos tucanos. De acordo com minha própria pesquisa datafolha as pessoas que estavam apoiando o PT eram basicamente os bolsistas do ProUni (e eu me incluo nesse grupo - não apenas pelo ProUni). Meio foda que as pessoas que não ganham "benefícios do governo" não entendem o quanto isso é importante pra quem precisa. Fazer o quê? O ser humano costuma ser egoísta mesmo.

Enfim... Rolou uma coisa muito desagradável na terça-feira dia 26-10-10. Eu estava cheia de adesivos com a cara da Dilma e uns "Cultura com Dilma 13", ganhei num evento que participei no dia anterior. Bem, os adesivos passaram a manhã em cima da minha carteira, algumas pessoas me pediram alguns e tals. E eles estavam lá.

Numa troca de aula precisamos juntar as carteiras em grupo, pra que as professoras avaliassem nossos relatórios. Meu grupo juntou as carteiras e os adesivos continuavam em cima da minha carteira, afinal, faziam parte dos meus pertences.

Meu grupo seria o primeiro a ser avaliado. Quando a professora viu os adesivos em cima da minha carteira, disse alto:
-"eu me recuso a sentar aí"

Dei risada, achei que ela estava brincando e ofereci um adesivo pra ela. Aê a bixa enlouqueceu de vez, espumando pela boca, gritou:
-"você está me provocando! Eu me recuso a sentar aí!..." ele disse mas algumas coisas mas nem me lembro.
Aê eu percebi que a coisa era séria e guardei meus adesivos na mochila. "Pronto, professora. Guardei."

Mas ele virou as costas pra mim aos resmungos de "isso é ridículo...onde já se viu..." e foi avaliar outro grupo.

Porra! Fiquei muito nervosa! Que ridículo! Saí da sala pra não piorar a situação. Pô, a professora ia deixar de avaliar meu grupo por conta da minha opinião política! Isso porque eu não fiz NADA! Os MEUS adesivos estavão em cima da MINHA carteira. Esse foi o crime que cometi.

Pensei em ir na coordenação e chutar o balde. Deixei quieto. Se ela teve uma atitude precipitada em suas ações eu não iria fazer igual. Afinal, uma conversa tava bão já pra acertar as coisas, isso se ela fosse "madura" suficiente pra aceitar levar uma conversa.

Depois de um tempo voltei pra sala e sentei com meu grupo.
Ah! Uma observação: a sala inteira estava em choque com a atitude dela.

Então... No fim ela sentou com meu grupo (sentou do meu lado) e avaliou nosso relatório. Foi tanquilo, não foi tenso.

Saí às pressas pra não perder meu fretado. Conversaria com ela no dia seguinte.
Acontece que ainda não tiva oportunidade de encontrar com ela. Então, por enquanto, a história tá sem final.

Acredito que ela se tocou da besteira que fez... Veremos. Depois complemento aqui.

Bom, pela reação dela, a única certeza que tenho é que ela deve estar mordida de raiva com o resultado das eleições. Nem ligo, a maioria á feliz!

#13neles!

Aos interessados, um Beijo0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o

Ah! Dia 15 tem show do Ney Matogrosso no SESC Itaquera. Quero ir!!!!!

3 comentários:

  1. Parabéns Tchella! Poesia mto linda e seu blog tb ta mto bom! ;D
    Saudadee de vc flor!
    Bjos Aninha.

    ResponderExcluir